A Educação de Adultos na Escola Marquesa de Alorna

O Agrupamento de Escolas Marquesa de Alorna tem tido, ao longo do tempo, as ofertas formativas possíveis que foram sendo ajustadas a públicos existentes na proximidade, tendo sido criados protocolos com diversas entidades de forma a facilitar esse apoio.

Um protocolo que mantemos há mais de uma década é com o Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL) cujo projeto educativo decorre das necessidades existentes no âmbito da formação de adultos.

Para os formandos do EPL estes cursos são facilitadores da sua reinserção social, uma vez que adquirem mais habilitações; a sua motivação e os resultados positivos obtidos ao longo da frequência do curso poderão atenuar o tempo de pena como reflexo de boa conduta; além disso, permitem uma ocupação do dia-a-dia num contexto de aprendizagem e podem funcionar como um escape emocional.

Através de protocolos realizados com CNO/CQEP e atualmente Centros Qualifica, o nosso Agrupamento foi sempre solicitado para a integração/encaminhamento de formandos oriundos destes centros para conclusão da sua escolaridade.

Em tempos, os protocolos existentes com a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) e o Centro Social e Paroquial de Lisboa permitiram, segundo a legislação em vigor, que fossem lecionados cursos extra-escolares, seguidos de cursos de Alfabetização e, mais tarde, de Formação em Competências Básicas. Os cursos de Alfabetização e de Formação em Competências Básicas (FCB) foram também lecionados em Escolas Básicas do nosso Agrupamento dadas as necessidades diagnosticadas pela população existente nos bairros sociais pertencentes à zona territorial.

Na escola sede do Agrupamento tivemos sempre a intenção de oferecer a possibilidade dos formandos inscritos fazerem um percurso transversal com início na alfabetização/FCB até à certificação em cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA) de nível 1, 2 e 3 (EFA B1, B2 e B3). Por sermos uma escola básica os adultos que pretendem prosseguir são orientados pela equipa técnico-pedagógica, na figura dos seus mediadores, para outros cursos existentes a nível do ensino secundário.

Os cursos de Português para Estrangeiros (PPT) ou Português para Falantes de Outras Línguas (PFOL) têm sido uma grande evidência neste agrupamento, tendo o CNAI - Centro Nacional de Apoio ao Imigrante / ACM - Alto Comissariado para as Migrações, como um importante parceiro na gestão do encaminhamento das candidaturas.

Este ano letivo o nosso Agrupamento tem uma rede alargada de cursos: 6 PPT; 2 EFA B1; 2 EFA B2 e 2 EFA B3, para além do projeto existente no EPL.

As equipas técnico-pedagógicas foram-se consolidando pelas boas práticas dos docentes e pela motivação que os acompanha na lecionação destes cursos. Nesse sentido, têm promovido no seu plano anual de atividades e face ao Tema de Vida comum, ações de sensibilização com técnicos do CNAI; visitas de estudo (museus, visitas guiadas a monumentos,…); cinema e teatro; atividades no Centro de Recursos Educativos da Escola no âmbito da Semana da Leitura; visita anual à Feira do Livro de Lisboa; festa/convívio multicultural; ações e projetos promovidos pelo Gabinete de Intervenção Psico Social (GIPS). Pretende-se que, com estas atividades, os formandos tenham acesso a locais e participem em atividades culturais, que para a maioria, são momentos únicos mas que se pretende promover uma continuidade a novos contextos possibilitando-lhes uma melhor adaptação aos mesmos.

São objetivos de todas as ações: elevar o nível de literacia da população face às necessidades diagnosticadas; incentivar o gosto pela atividade letiva, desenvolvendo a capacidade, o prazer de aprender e de se formar enquanto cidadão; promover a vivência multicultural; fomentar uma prática ativa e reflexiva dos valores; motivar e mobilizar para a importância da comparência às aulas e o aproveitamento escolar, no sentido de reduzir o número de desistências e o absentismo escolar, com o recurso a estratégias baseadas numa mais sólida articulação entre os formadores e toda a equipa técnica; elevar o nível de certificação escolar ao maior número de cidadãos possível.

São fatores que caracterizam esta população a sua heterogeneidade, a sua multiculturalidade, a discrepância de idades, a diversidade dos percursos de vida (académicos, profissionais e pessoais), nos diferentes estratos socioeconómicos, os baixos níveis de escolaridade e de qualificação originados por um abandono precoce do sistema educativo, as dificuldades de acesso a formação profissional, a falta de motivação e ausência de projetos de vida devidamente estruturados. Estes grupos tão heterogéneos obrigam à implementação de estratégias/atividades diversificadas e a um apoio mais individualizado com vista à melhoria do desempenho, não deixando de ter em conta a integração do indivíduo no grupo.

Nos cursos EFA a novidade dos métodos de trabalho de trabalho e do papel dos formadores pareceu gerar uma mudança significativa na imagem que muitos destes adultos tinham da escola, passando de uma escola pouco flexível para uma outra que mostra abertura e aplicabilidade no contexto do quotidiano.

Razões como a necessidade de manutenção ou obtenção de um posto de trabalho, a concretização de objetivos pessoais que ainda não tinha sido possível ou a necessidade de uma maior inclusão social estão na base das expectativas de sucesso destes formandos.

Site do Agrupamento de Escolas Marquesa de Alorna 

http://www.marquesa-alorna-lisboa.pt/

Folheto informativo das ofertas formativas – horários diurno e pós-laboral

Programa Português para Todos (PPT)

Cursos de Educação e Formação para Adultos (EFA)