Atividades locais

Veja aqui onde vão decorrer essas atividades ›››

 

Estas atividades locais têm como principal objetivo estimular iniciativas a nível local que envolvam propostas de organização de eventos, em espaços não convencionais, de diferentes formas de aprendizagem que ultrapassem as fronteiras entre os diversos tipos de aprendizagem - formal, não formal e informal.

Os principais destinatários destas atividades são todos os elementos de uma comunidade, independentemente da sua idade, profissão, nível académico ou cultural, despertando-lhes a curiosidade e incentivando-lhes o gosto por saberem mais.

Estas atividades devem partir de iniciativas locais, cabendo à organização nacional apoiá-las a nível de estrutura, fornecimento de material promocional e, caso se justifique, de pequenas verbas (deslocações, correios, etc.)

Para serem consideradas inseridas na Semana ALV, as atividades deverão ser inscritas no site da Semana e credenciadas pela estrutura da organização a nível nacional.

Caso surjam na mesma localidade mais do que uma iniciativa, estas deverão reunir-se e conjugar esforços para criarem sinergias.

Para que exista unidade e coerência em torno dos objetivos da Semana ALV, deverá haver um bom entendimento entre as atividades locais e a organização nacional, mas permitindo sempre a originalidade e a diferenciação das iniciativas locais.

As entidades que promovam atividades locais deverão fazer um registo, o mais exaustivo possível, da ação em diversos meios, como fotografia ou vídeo, e elaborar um portefólio que possa ser colocado no site e que sirva de exemplo para as futuras Semanas Aprender ao Longo da Vida. Eventualmente, poderá ser criado um prémio para a iniciativa que conjugue eficácia/criatividade.

Exemplos de atividades que poderão ser promovidas por qualquer entidade (empresas, associações culturais ou desportivas, instituições, fundações, organizações) ou mesmo individualmente, na zona de trabalho ou de habitação:

Associações culturais ou desportivas

- Convidar pessoas a experimentar 20 minutos de atividades, como yoga, pintura, jardinagem;

- Recolher objetos antigos (roupa, brinquedos, etc.) da população local e organizar uma exposição, explicando quando e onde estes eram usados;

- Organizar uma visita de estudo em autocarro a um local pouco conhecido (escavação arqueológica, etc.);

- Aprender danças tradicionais;

- Aprender a tocar um instrumento (por exemplo percussão);

- Observar o céu com telescópio.

Instituições, fundações, organizações

- Realizar no Centro Comercial da zona uma exposição de obras artísticas criadas por pessoas da região;

- Oferecer visitas gratuitas a grupos organizados, por parte dos Museus;

- Desenvolver uma ação de sensibilização para prevenção de uma doença;

- Promover, junto dos Supermercados, esclarecimentos sobre o consumo;

- Aprender a construir fornos solares;

- Aprender a confecionar variedades culinárias (macrobiótica, vegetariana, sopas, doces);

- Aprender um artesanato rural (cestaria, renda, etc.);

- Aprender agricultura vertical.

Individualmente ou um grupo de pessoas organizadas informalmente

- Organizar visitas a empresas para saber o que fazem e como funcionam;

- Organizar um encontro e pedir a uma pessoa que fale sobre um caso da sua vida como fator de aprendizagem;

- Convidar pessoas de outras nacionalidades e organizar um jantar internacional com uma variedade de pratos étnicos;

- Organizar um Círculo de Estudos (discussão de temas atuais);

- Organizar um recital de poesia;

- Organizar um passeio fotográfico;

- Organizar clubes de leitura.

Edição: